Sexta-feira, 30 de Setembro de 2005

pink cheek

main_lunar2_ppg.jpg

What was that?...


Tens razão...tens tanta razão...pode existir um amor mas a necessidade de racionalizar o amor não é senão uma tentativa de esconder,modificar ou mesmo matar a progressão natural do que acontece.É uma cobardia...

A noite é escura e a solidão...leva a que se faça um exorcismo da alma,um corpo,suor,um transe onde só existo eu,e depois até o eu se perde.O corpo deixa de ser teu...não existem julgamentos de valor,a ética dissolve-se.Não existem os outros...

Tudo isto por um momento...um momento de libertação pura.

Quando acordo dou por mim a dançar nos braços de um desconhecido.Mas não existe mal...tudo o que fica é uma simplicidade.Sei que durante este tempo não existe solidão...alguém estava lá comigo.A unica coisa que pode estragar um momento efémero é tentar racionalizá-lo.
Uma vez que o pensamento se sobrepõe ao coração....parece que tudo se começa a desfazer.Existe uma realidade que é feita por nós e a partir daí não consigo ver o que é real...

Existiu uma honestidade...a que me sinto vedada agora.Pela lógica pela razão pelo pensamento.Isto é esconder-me de mim própria...é fechar o coração e esconder-me em ideias como a vergonha,utopia,dignidade.
O efémero é roubado,só me resta acordar e perceber que tudo foi só um sonho.Nada é real.E solidão nunca deixou de existir.

Eu só quero respirar....

aware
publicado por aware às 19:00
| comentar | ver comentários (1)
|
Quinta-feira, 29 de Setembro de 2005

billie holliday

andersen_heartstealer.gif

Strange Fruit

Southern trees bear strange fruit,
Blood on the leaves and blood at the root,
Black bodies swinging in the southern breeze,
Strange fruit hanging from the poplar trees.

Pastoral scene of the gallant south,
The bulging eyes and the twisted mouth,
Scent of magnolias, sweet and fresh,
Then the sudden smell of burning flesh.

Here is fruit for the crows to pluck,
For the rain to gather, for the wind to suck,
For the sun to rot, for the trees to drop,
Here is a strange and bitter crop.


...
publicado por aware às 01:46
| comentar | ver comentários (3)
|
Quarta-feira, 28 de Setembro de 2005

replacing the pain with something


I will dance again...soon.

Soube ontem o que se passa com o meu joelho,e tem solução.Fiquei mesmo aliviada por saber.A minha maior preocupação era que nunca fosse passar...
Dia 11 vou ser operada e o problema vai ser resolvido.É simples e só dura uns minutos...nem é preciso anestesia geral.

Tinha tanto medo que não fosse passar...fico mesmo feliz.

aware


publicado por aware às 15:38
| comentar | ver comentários (2)
|
Terça-feira, 27 de Setembro de 2005

dreaming reality

memories.jpg

Uma ilha uma praia.Plana e branca...branca.Branca como eu.
Agarro a mão do meu avô e olho para cima para ele.A pele dele escura reluz ao sol.Parece curtido ao sol feito de madeira de sandalo,os olhos da mesma côr sorriem.
Não sinto o mar nos pés descalços,sinto o calor do sono e o azul claro,quase transparente.Quase não existe...é só uma leveza quente.
Quero sombras e escuro,árvores e caminho para lá.Onde quer que lá seja.Ele vem uns passos atráz de mim.
É uma cidade pequena,casas.Branco sujo...todas as portas são pretas,madeira preta como a noite com embutidos de madre pérola,constelações,sonhos no escuro.
Não pode ser real...mas é.
Pessoas passam na estrada...sinto alguém dentro da casa mais próxima.Uma pessoa está na soleira da porta com um leque,abanando-se.Começo a correr para uma casa que vi mais adiante enquanto ainda oiço o meu avô a cumprimentá-la.

A casa não tem ninguém...não existem portas e as janelas enormes estão abertas,partidas,derrotadas.O chão é de terra e existe uma criança do meu tamanho sentada no chão da sala a fazer desenhos no pó.De costas para mim e eu aproximo-me. O cabelo dela não é como o meu...ela é morena,mais suja que outra coisa... tem o cabelo liso preto e curto.Está ao pé de uma mesinha e uma caixa,não existe mais nada.

Sento-me ao lado dela,e sinto um cheiro familiar,ela cheira á minha mãe... e olho para a cara dela.Tiro-lhe a poeira da cara com as palmas das mãos e reconheço a cara dela.

É a minha mãe.

O meu avô abaixa-se ao nosso lado e passa a mão pelo topo da caixa que está no chão.Há medida que a mão passa pedaços desfazem-se e a caixa solta três sons metálicos,notas desafinadas.Enquanto morre.
Ele levanta-se e caminha até á porta,fica na ombreira uns segundos a olhar para praia branca.Olho para a silhueta escura dele no branco e azul.Tem uma camisa clara de mangas curtas,calças...descalço como nós.
Diz-nos que está na hora de ir e sai para a luz.
Levanto-me e ajudo-a levantar-se...já não largo a mão dela.Olhamos para a porta olhamos uma para a outra e começamos a correr de mãos dadas no meio de risos.Crianças a rir e o céu....

...para sempre...


aware

publicado por aware às 22:29
| comentar | ver comentários (2)
|

fuking lonely

hurt.jpg

O mundo está acordado esta noite...está tão longe,mas mesmo assim sinto-o a respirar.

Eu sei,nem preciso abrir os olhos.A electricidade sente-se no ar...e não me deixa dormir.Eu já não faço parte daquele mundo.Pareceram-me tão distantes,quando os vi hoje.
Reconheceram-me...
Eu não quero voltar.Perdi essa oportunidade quando reclamei um pedaço de tempo para sobreviver.I should have broken down years ago.
Mas o que me está mesmo a incomodar é que parece que ninguém me vê.A minha casa parece vazia...não consigo sentir nada que não seja um abandono.Parece que a realidade é que as pessoas nos desertam para irem viver as suas vidas,e as suas doenças.Para irem dormir...

Estamos todos presos nos nossos próprios corpos...Por mais que eu ame alguém se essa pessoa morrer o meu corpo não se desliga.Talvez o amor não exista.Talvez seja mais um deus que inventámos.
E o mais incrivel é que nem sei se as pessoas souberam que eu as amei.Estão longe,que vou fazer?Obrigá-las a olhar?

Não posso esperar.Não posso escolher...

Esta noite não vou dançar,e isso faz-me absolutamente infeliz...
...aos que dançam?Dançem por mim.


aware

publicado por aware às 03:09
| comentar | ver comentários (1)
|
Segunda-feira, 26 de Setembro de 2005

into the devils jaws

hell--blake_dragon.jpg

Não sei o que vai acontecer amanhã.Sei que consigo pensar agora nas coisas de maneira diferente.Espanta-me até reagir de maneira diferente...até parece que não sou eu.

Amanhã vai acontecer...a unica coisa que posso fazer é escolher entre fugir e ir ter com aquilo que me faz desconfortável.
A minha reação seria fugir...eu já me conheço e porque me conheço sei que o melhor não é fugir.Mesmo que tenha de mentir um pouco para ficar...e daí para quê mentir?Para não ter de repetir a mesma coisa milhões de vezes?Porque não deixa-los pensar que ainda estamos juntos?Eu quero sentir que ainda estamos juntos.Quero acreditar que sempre estaremos juntos.Mesmo que isso seja mais importante para mim que para eles.

Amanhã vou ter com eles...vou despedir-me.E se me sentir bem com isso vou continuar a vê-los,se eles me quiserem eu continuo a estar pronta.Como no primeiro dia...

Fico absolutamente revoltada com o que o rainman me disse,se querem a minha alma vão tê-la.Mas ás horas que eu quiser!E quem não acredita que eu mudei e que vou continuar a mudar que se lixe....a mim já me custa acreditar!!!
É suficientemente dificil assim ...especialmente para quem tem alguém sempre por perto que já desistiu há muito tempo.Se calhar ele tem razão e tudo o que eu sou são umas linhas de quem já tem muito sono ás três da manhã.Mas a verdade é que afirmações como as que eu escrevo é preciso ter coragem para as escrever...passo os dias inteiros a reunir coragem para escrever as coisas que me preocupam e que fazem de mim quem eu sou.

E é essa estupida coragem que eu vou ter de arranjar para ir amanhã...porque já não reajo como antes,porque agora tenho outras soluções para os mesmos problemas e tenho de as usar.E sinto como se ninguém me visse a fazer isto.Como se não soubessem o que me custa!Mas custa...e a merda é que chorar é uma coisa que acabo sempre por fazer sozinha.

É assim tão dificil perceber que eu a esta hora posso estar mais lucida do que quando acordo?Eu não sou maluca...sou diferente.Posso estar doente,posso ser ignorante mas vou conseguir.Quem não pensar assim,por mim,não existe.E se eu não acreditar vou desaparecer também.Esse é o meu maior medo...Por mais lixada que esteja amanhã vou ter com eles.

Tudo isto porque não consigo aceitar uma ideia.Uma ideia tão simples...Se conseguisse como tudo seria mais fácil!Todas as ideias,todas as situações que não são aceites,que não são compreendidas ou enfrentadas...mais tarde ou mais cedo tranformam-se em dor.Só conseguimos livrar-nos dessa dor assim.E de mais nenhuma maneira.

Eu não estou zangada com ninguém...estou zangada comigo.E se estiver zangada com o mundo!?Todos estamos,verdade?

aware
publicado por aware às 03:56
| comentar | ver comentários (2)
|
Sábado, 24 de Setembro de 2005

insomnia

looking-up.jpg

so...i cant sleep

Não consigo que o meu corpo entre no modo de dormir...não consigo parar de pensar.Tenho de lutar contra isto...é um frio que entra devagar.Um sitio desconfortável a espectativa de uma mudança programada.
Vai tudo correr bem....

Ainda não vou poder ir durante um tempo,então para não ficar sem fazer nada vou arranjar um emprego.Assim quando for posso ficar mais tempo...preferia ir agora,não queria ver os meus colegas...não queria de ter de esplicar.Não quero ficar só a olhar.É por isso que tenho de ter qualquer coisa que me ocupe o tempo...senão vou dar em louca.

E não consigo dormir...mas vou.
(que post estupido)...nota-se que estamos em minguante...suspiro...

****boa noite
publicado por aware às 02:16
| comentar | ver comentários (2)
|
Sexta-feira, 23 de Setembro de 2005

the biguining!

fether.jpg



Hoje...foi o dia.O dia depois da decisão o dia do começo.

Hoje estive com o rainman,e ele repetiu-me um pensamento que já tinha ouvido muitas vezes por muita gente,hoje pela primeira vez senti que o compreendi,senti a energia que me deu.Senti que absolutamente não conseguia ficar sem reagir.

Senti que o tempo para intenções acabou,agora é o tempo de correr.

Foi hoje.Foi hoje!No agora mesmo,neste segundo...encontrei uma direcção e vou segui-la como uma flecha!Sinto o coração a arder!!!Como um sol....apetece-me gritar e rir.Deixar tudo ir...
Nunca mais o marasmo da intenção perdida...a tristeza da indefinição.
Agora existem coordenadas...não um destino final mas uma viagem,um novo capítulo que vai mudar todo o enredo da minha história.To stay off the beatten path....finalmente!
Ontem decidi não continuar,decidi separar-me...tudo isto é negativo se não existir mais nada.A diferença é que já não sou quem era...não me contentarei com planos frustrados desta vez.Intenções e serões de filosofar ao vento.
Já não acredito nisso...não acredito na imobilidade...não acredito na solidão.
Vou ter com o mundo e vou aprender o que ele tem para me mostrar...quando voltar serei uma pessoa diferente daquela que partiu.
A minha alma estará mais rica mais forte.
Forte o suficiente para recomeçar onde parei...e continuar até que me sinta completa.

Tenho medo de sequer dizer isto em voz alta...quando souberem já cá não estarei.Enquanto dormem vou sair,pé ante pé,com a esperança numa mão e os sapatos na outra.
É em tempos como estes que mais medo tenho.Medo que uma escuridão desconhecida venha e me separe do sonho...Mas vou continuar...idependente do medo,tenho de tentar,sinto que é certo e justo e bom.Vai acontecer é a realidade.

Finalmente chegou o momento em que as águas paradas da minha alma sentem um impulso,caí em mim e agora só falta ver as ondas,os circulos que alastram.Qualquer coisa começou hoje que não pode ser evitada ou interrompida.
Sei que também o sentem,e que isso também fez ou fará parte da vossa vida...somos todos humanos.Wish me luck...

****aware

publicado por aware às 01:18
| comentar | ver comentários (3)
|
Quinta-feira, 22 de Setembro de 2005

desperate stilness

Calm Winds_jpg.jpg

Hoje nadei num espelho.Tentei matar com o sal as duvidas,tentei lavar a alma.Mas na areia a unica coisa que posso fazer é esperar pela paz que não vem...e olhar para o mar que tem a calma que eu não possuo.

Posso brincar com as palavras e com os seus significados mas isso não me distrai verdadeiramente do dia que passou.Um dia,mais um dia que passou irrevogávelmente,não que fosse mais ou menos diferente que qualquer outro dia desde o principio dos dias.Mas foi uma separação...uma separação do passado.

É obvio...O presente não é senão a separação constante do passado e do futuro.Torna tudo tão fugaz e tão urgente...todos os dias temos de cair no dia de hoje desamparados e tentar chegar a algum conhecimento a que nos possamos agarrar firmemente.Assim tentamos capturar a continuidade que nos escapa.Muitas vezes em vão...
Do quotidiano ficam pequenos grandes gestos,pedaços de imagens e sensações sem nexo que acabam por fazer parte da coisa indefinivel que é a alma.As palavras poderosas de um oráculo,alguém que me agarrou pela cintura,uma lua,uma chávena partida...saudades de alguém que nem conheço.

Então tudo o que ficou para trás é memória quase sonho,tudo o que é futuro não existe...só nos resta o agora,em que nos distraimos e iludimos constantemente...para mim o dia de hoje é um sonho.E nos dias de hoje vou ver outras pessoas que continuaram no caminho que eu partilhei e abandonei.Os nossos quotidianos separaram-se,deixei-me ficar para trás...vou ver se me encontro onde me perdi.
Só me resta descobrir o sítio onde pertenço na realidade,tentar fazer a minha vida rica com as vidas de outras pessoas.Saber o que quero e cumpri-lo.
Soa-me muito longe mas sempre esteve dentro de mim...ainda não o consigo ver.Seria melhor pensar que não existe um momento de realização...que todos os momentos são uma realização constante?Não sei o que é mais sensato...e não sei se consigo ser sensata neste momento.Não sei quem consigo ser agora.

Deixei a minha invulnerabilidade partida num chão qualquer...Foi o medo que a partiu,o terror da guerra que passou.Agora sou permeável a tudo outra vez...o tempo sem emoções acabou,a morte acabou.Como qualquer recém nascido não posso fazer mais que chorar.Mas até as minhas lágrimas ficaram para trás...existe apenas uma inquietação constante.Como a que se sente quando estamos apaixonados.
Tenho de acalmar essa inquietação...e para além dela sentir a minha alma,talvez me diga o que procura.

Até lá tenho de contar com o amor dos que me procuram,dos que escolhem dizer-me que me vêem.Que também anseiam que me encontre...mais completa ama-los-hei melhor.De certeza...Só preciso de tempo,mais uma noite,mais uma visita á escuridão.Mais cinco séculos num segundo,entrar no circulo e tornar-me o centro...só mais um sonho.

aware

publicado por aware às 00:39
| comentar | ver comentários (3)
|
Segunda-feira, 19 de Setembro de 2005

lost in translation

lost in translation .JPG

Não consigo dormir,então liguei a televisão.Pensei,finalmente vou poder ver este filme...muito mas importante do que o que é dito,o que é omitido.Poeta.Não vos vou falar do filme,como muitas coisas da vida é auto explicativo.Não resta nada...there is no translation.

No meu sofá lembrei-me que estava sozinha...estamos todos sozinhos.Sei que há coisas de mim em que eu não quero acreditar.Como se não acreditar fizesse desaparecer aquilo que não quero ver.Escolho não acreditar...
Também escolho acreditar em coisas que não existem,porque é a unica maneira de lhes dar vida própria.Coisas como a perfeição e o amor...como os sonhos.Porque estamos todos perdidos e a unica coisa que queremos é ter alguém para conversar...mesmo quando são quatro da manhã.
Há muitas coisas que se ensinam,e se não sabemos o mais certo é querer aprender,mas para além do que se aprende existem coisas que não se ensinam.Ninguém nos pode ensinar a ter uma alma.E ter uma alma cansa...aquele cansaço de quem está tão cansado que nem consegue dormir.Tento procurar as pessoas com quem quero falar na minha cabeça...mas elas não existem.Estão perdidas na minha ignorância da sua existência...'bem vinda á comunicação humana' foi o que ele disse...ok eu sinto-me tão humana que até doi,e como tal a unica coisa que se pode fazer em relação a isto é sorrir.Como alguém sorri quando põe demasiado picante na comida.

A dor faz-nos sorrir,ás vezes.A noite está tão fesca e tão vazia que não tenho sono.Estava-me a lembrar do que foi dito,que quando uma pessoa se sente viva não se consegue sentir só?Talvez outra pessoa consiga sentir isso...eu não sei, irónicamente é quando me sinto mais viva que me sinto mais só.Não é quando estamos tristes que sentimos falta dos outros é quando estamos felizes...é o que eu vejo.Na segunda noite de lua cheia é dificil não ver a solidão.É dificil acreditar no que não está lá e muito mais ainda aceitar o que está.

Fico com uma sensação tão estranha...vou dormir.

aware
publicado por aware às 03:17
| comentar | ver comentários (5)
|

Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
Hit Counter

...recent dreams

Home

The gates

sidartha

Burnt Wings

Ouro

Sleepwalker

Red

Luz e solidão.

Art of Peace

golden brown

...other dreams

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

...other dreamers