Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2006

Sinto muito...

socorro.jpg

Vejo uma cara,um corpo em movimento...e por momentos posso ver os seus olhos.

E as minhas mãos começam a arrefecer.

Depois outra,olho para o meio da multidão e entre eles há caras que me olham.

Começo a não conseguir respirar...o ar foge-me e o coração acelera.Sinto-o apertar-se e começo a suar frio.

Dor...

Os que param,os que olham e veem são os únicos que me podem fazer mal...são os que conheço...são os que amo.Quando penso nisso não consigo respirar.
As paredes do meu coração são feitas de papel.Não há ninguém que seja mais perigoso para nós do que aqueles que amamos...a multidão não existe.
O ar escapa-me.Sei que os magoei e isso é intolerável.

Eu não devia ter sido feita assim,eu amo demais e o mundo não quer almas livres.

É dificil não existir para eles,é dificil sair à rua e nao me apaixonar...é dificil amar assim tanto e ser invisível.É crueldade...

O meu corpo não é nada,a minha mente não é nada comparada com este Amor.O visível não é nada comparado com o que nao se vê.Nada comparado com o que se sente...não consigo viver assim!Sinto o calor na cara,a respiração pára e sustêm-se e quando já não o suporto elas veem e rolam-me ainda mais quentes.
Não me importa...já nada me importa quando me sinto assim.Muitas vezes penso em ser mais leve,escrevo e rio para quem me ama mas o vazio sabe o peso que tenho dentro de mim.Porque só ele o viu da ultima vez que nos encontrámos...só ele o soube fazer desaparecer.

É aqui que chego onde não quero chegar...no limite.E vejo o que não quero ver...o amor não é nada se não o conseguir dar.Não existimos se não conseguir-mos Dar.

A alma não é nada se ninguém a vir,um corpo não é nada se ninguém o tiver...uma vida não é uma vida se não for vivida.

Quero compreender,quero que compreendam que se me agarro ao meu amor não é por não o querer partilhar...isso só me faz ficar doente de dor.Faço-o porque é a minha única maneira de me agarrar à vida.É o meu bote salva vidas...depois de todas as tragédias é a unica coisa que sou eu.É a unica coisa que resta da minha identidade.
Todos os desgostos,todos os desencontros...todos os enganos veem daí.
Mas mudarei,um dia,como em todas as mudanças,vou acordar e vai ser diferente.Vou trabalhar para que aconteça.Como disse antes já não me contento com menos...

Talvez nesse dia quem me vê possa sentir o que sinto,o que sempre senti...e verão que o meu regresso não é um regresso,porque nunca parti.

Por agora sinto muito pela minha ausência...sinto muito.

O mundo terá de fazer a festa sem mim.

Agora é lua nova.


Aware
publicado por aware às 23:11
| comentar | ver comentários (4)
|

I want more.

11g.gif

O vestido preto acordou-me.

Usei-o só uma vez e acordou-me...isso ou a dor lancinante dos saltos.Já não sei...

Sei que quero mais.

Sei que não vai ser assim para sempre e quero vivê-lo até ao limite.Existe uma altura específica na vida do ser humano em que nos apercebemos que nos foi concedida uma dádiva...o nosso corpo.A nossa juventude.
Quero ter a liberdade mental para dizer 'quero usar tudo o que gosto'...agora.Porque posso...e porque não quero ter de olhar para trás e pensar que gostava de ter vestido aquilo 'quando era nova'.

Porque vestir é um estado de espírito e eu quero ser livre.

Por isso vou atirar-me aos tecidos às agulhas e às lojas.
Venham mini saias!Saltos altos,blusas justas e decotadas...não me interessa!Não me quero esconder...não tenho nada a esconder,não quero ser menos do que sou.
Ando a cortar-me há anos para caber nesta sociedade...já chega!
É trabalho inglorio,não caibo,nunca hei de caber...nem quero!Fascistas!(abanando o punho no ar ridículamente)...gargalhada...

Mas agora a sério...quem de voçês não sentiu isto?

Moda,ideias,cabeças e corpos controlados...cuidadosamente cobertos,adaptados,domesticados.É o suficiente para me dar arrepios.

Apartir de agora se eu quizer ler Nietzsche numas hotpants de ganga em pleno jardim municipal,vou!E se for preciso de saltos de cunha!...daqueles que atam no tornozelo...
Afinal de contas que serve soltar a nossa cabeça se não podemos soltar o corpo também?

Eu sei como isto deve soar...mas sabem que mais?Não me interessa.

Podem vaiar à vontade,no fundo é o que eles querem ver e o que elas gostavam de fazer.Quem me dera que o fizessem mesmo e que fossem livres...só lhes desejo liberdade.

Quanto aos outros?

''O corpo é um dos nomes da alma, e não o mais indecente'' Marcel Arland

''Quem te Injuria não te Injuria.Sendo assim as coisas, não te precipites e doma as tuas ideias. Porque segura é uma coisa: se ganhares tempo e pausa a fim de ponderares o acontecido - então, facilmente, serás senhor de ti mesmo.'' Epicteto

Melhor ainda...Faithless 'I Want More'

Nights out with no fights,parties with no lights.
Bare legs,no tights,Love at first sight.
Real jamaican rum,more gentle delirium,
More of that hum that lies between base and drum.I want more.

Evenings in short sleeves near palm trees,
Melodies carried in the heavy breese.
More oneness, less categories,
Open hearts, no strategies.
Decisions based upon faith and not fear.
People who live right now and right here.
I want the wisdom that wise men revere.

I want more.

Kisses everyone*

Aware
publicado por aware às 04:32
| comentar | ver comentários (5)
|
Sábado, 25 de Fevereiro de 2006

Heart

this is my church.jpg

Apetecia-me caber na curva do teu corpo...naquele arco vazio.

A arca vazia que é o teu peito.

Agarrar-me à tua camisa como alguém que se está a afogar e molhar-te com as minhas lágrimas.Tudo isso me cansa,as àrvores morrem.

Tudo isso me parecem cinzas e se desfaz,dentro de olhos vermelhos.

Há coisas que se andam a descontrolar em mim,pensamentos que crescem e mudam sem o meu querer.Comem a minha alma como animais.
Tento adormecer-me,tento acalmá-los com sacrificios e rituais mas não consigo.
A minha carne e o meu sangue não lhes matam nem a sede nem a fome.Tentam destruir e distorcer o que criei...

Há alturas em que penso realmente que estou a enlouquecer.

Tudo é muito calmo.Penso na divindade e na trascendência,no caminho e no labirinto.No Diamante...
E em todos estes símbolos que fazem parte da minha linguagem incompreensível.
Penso nos caules verdes e musculosos das rosas,nos espinhos aguçados mas nunca nas pétalas...a sua suavidade só a consigo imaginar,embora lhes sinta o cheiro.Eu vivo realmente onde ninguém me pode ter.

Todos olham mas ninguém me vê,todos desejam,todos desprezam...de olhos vítreos e cegos.

Almas mutiladas como a minha.Sim eu também olho mas não vejo,eu também desejo e desprezo,eu também sinto fome e cerro os dentes.Chiam como a máquina...
Foi a máquina que nos fez isto...e nós deixámos.
Seríamos assim tão inocentes?Éramos...sim,ainda me lembro.

Perco-me no teu silêncio...que tornei meu.

Gostava de agarrar as minhas ideias como filhos e juntá-las muito a mim.Sinto-as agarrarem-se às minhas ancas e ao meu peito...quase lhes sinto o peso mas os meus braços continuam vazios.O amor fica por uns segundos e o meu corpo treme...
É incrível ver renascer realidades que tinhamos morto.Acordam como se nada se tivesse passado esfregam os olhos e sorriem com o meu espanto.

Sonhos,pesadelos tudo acorda e discorda em mim.Estou perdida...

Quem me dera que o céu se enchesse de nuvens e vento...queria tempestade e trovão.Queria chuva para me lavar a alma e barulho para afogar as vozes que ouço.
A guerra dos Deuses...Não quero ir dormir.

Estou farta daquelas lágrimas abafadas.De cair na escuridão outra vez.

Não há fim para isto...Esta é a luta.

Aware
publicado por aware às 02:51
| comentar | ver comentários (3)
|
Quarta-feira, 22 de Fevereiro de 2006

Just be.

You can travel the world but you can’t runaway from the person you are in your
heart
You can be who you want to be make us believe in you keep all your light in the
dark
If your seaching for truth you must look in the mirror and make sense of what you
can see
Just be, just be

They say learning to love yourself is the first step that you take when you want to be
real
Flying on plains, to exotic locations won’t teach you how you realy feel.
Face up to the fact, that you are who you are and nothing can change that belief

Just be, Just be

‘Cause now I know
it’s not so far
to where I go
that I’m this far
is this I feel
I need

To just be
Just be

Just just just just just be..

I was lost , and I’m still lost but I feel so much better

(...)

Aware
publicado por aware às 02:25
| comentar | ver comentários (2)
|

I love this...

caracol.jpg

''O objectivo profundo do artista é dar mais do que aquilo que tem''

Autor: Paul Valérie

Defenitions:

''A person whose creative work shows sensitivity and imagination.''

''Artist is a subjective term which describes a person creative in, innovative in, or adept at, their endeavors.''

''Refers to a person who creates one of a kind objects that communicate information concerning the creator and the context.''

...

A primeira frase é a única que me interessa...é a única que me define.

Muitas vezes me pergunto qual é o meu objectivo...porque me perco na beleza do caminho,no sofrimento da distância.

Essêncialmente eu sou alguém que quer dar aquilo que não tem.

Sempre,incondicionalmente...

O meu unico problema é que para além dessa loucura existe a realidade.
Para além de querer desesperadamente dar aquilo que não tenho...não consigo dar aquilo que tenho.Aquilo que sou...

Essa é a minha solidão.

Aqui entramos num sítio perigoso.Dizer a verdade é sempre um sítio perigoso.
Mas parece que é isso que acontece,é isso que me impede de viver e de estar com os outros.E saber disto doi.
As nossas verdades pessoais sempre doem.Por serem verdade.

Só me conheço assim...

Posso ser tudo o que quizerem que seja,facilito sempre a resposta certa...Em mim tudo estará sempre pronto para os outros.Eu construo perfeições à medida.Basta que mas peçam...basta que reparem em mim.
Mas tudo isso são mentiras,são sem dúvida as mentiras mais difíceis.Porque acredito nelas mais do que acredito em mim,e porque, de vez em quando, consigo enganar alguém...
And when the thuth dies very bad things happen...things that hunt me when I sleep.

Até aqui disse muito,mas também sei que sou muito mais que tudo isto.
Que sou mais do que aquilo que consigo ver ou explicar.Todos somos...esse é o grande mistério do mundo e a sua grande beleza.

Esse é o meu trabalho,essa é a minha procura e o meu caminho.Mesmo que mais ninguém o veja,mesmo que eu me perca...é isto que sou.O invisível.

O que deixo neste sítio é apenas a fracção visível do meu trabalho.Este é o meu legado se não houver amanhã...para além das opiniões é algo de que me orgulho.
Não sei o que chamam a pessoas como eu...há tanta beleza lá fora e eu nunca a vi.
A minha unica esperança é que de alguma maneira eu tenha sido real...que as memórias sejam reais.Que eu apenas não tenha conseguido sentir a minha honestidade...

É por isso que sonhar é bom.

Aware
publicado por aware às 00:53
| comentar | ver comentários (1)
|
Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2006

Rascunho de uma Declaração de Independência

declaro que estou nascida em mim.jpg

Eu sou a minha própria mãe e o meu próprio pai.

Longe de ter conseguido a independêcia porque os afastei com ódio,ganhei-a porque os absorvi e reinventei dentro de mim própria.Atravéz do amor.
Só agora conheço a verdadeira solidão...porque pela primeira vez na minha vida estou mentalmente separada do mundo.Por isso sinto tão claramente que já não moro na casa que sempre foi minha e que já não sou a pessoa que fui.

Ainda não sei Amar nem Viver e embora isso me faça extremamente infeliz e insegura,no fundo,sei que tenho (...por linhas tortas) a atitude ou preocupação certas.

É por acreditar nisso que valorizo a minha doença e o meu inconformismo-conformista como uma peça muito importante do meu mistério e da minha realidade.
Acho que nestes anos ''novos'' não vivo o Amor no verdadeiro sentido do termo,mas vivo sem dúvida um ''estar apaixonado''...com toda a confusão e dôr que um amor jovem tem de ter...Quando sinto Amor sinto uma paz que engloba muito mais do que o que consigo perceber e embora sinta perfeitamente que a minha situação é insustentável...não tenho pressa.
A pressa e a sensação de inutilidade que caracterizaram a minha adolescência e minha vida sem participação na sociedade parecem ter-se diluido na minha própria noção de Eu,na minha própria noção de individualidade.Para além de um incompreendido egoismo cheguei finalmente a um ''cuidar de mim'' ao que espero ser uma definição evoluida de amor-próprio.

Eu já não tenho de matar o meu tempo.

Agrora posso usufruí-lo...Os meus objectivos,as minhas prioridades são a Flexibilidade a Espontaneadade e a Funcionalidade.
Dito isto sinto ter de fazer aqui um sacrifício de um ser-vivo para selar esta decisão...e longe de ser uma crueldade será uma justiça porque se trata de um ser muito vivo em mim que me tem impedido de progredir.Que tem roubado a minha vida antes dela acontecer.Atravéz um acto corajoso vou acabar com a minha situação insustentável.

Vou matar o meu perfecionismo.

Colocando-me numa situação para esse propósito...com diferentes ramificações.Tudo isso é apenas uma expressão pequena do que realmente quero fazer...Concebi uma meta que tem um valor menor para mim e para a sociedade.
Posso afirmar aqui e agora que o prefiro a continuar parada à espera da escolha perfeita.Que como sabemos é irreal.

Como sei que sentirei ânimo?Não sei...mas sinto-o,e também o senti quando experimentei um primeiro gosto dessa realidade que descreverei a seguir.
Essa ''Realidade Nova'' é composta por dois lados,um que se baseia na minha experiência real e outro que se baseia em prováveis.
Essas experiências prováveis foram criadas a partir da minha noção do que são as minhas forças e fraquezas,do que hipoteticamente resultará disso,mas também da minha avaliação de pormenores que recolhi dessa realidade quando a vivi parcialmente.
Em vez de apontar para a velha e boa taxa de sucesso a 99,9%...desta vez,em termos reais acho que tenho entre 45 a 60% de hipóteses de ser bem sucedida.
Será a tentativa de me inculcar a Disciplina e a Concentração de que preciso para ultrapassar as dificuldades e os vicios comportamentais que tenho adquirido e criado para mim pópria ao longo do tempo.
Mesmo que as opiniões não me sejam favoráveis,o que me interessa neste assunto é a minha própria atribuição de valor...opinião.Não como uma cegueira e uma teimosia ou desrespeito mas como o englobar de todas as informações e o respeito de todas as opiniões.

O que mais me motiva para além de todas as expectativas foi a minha expêriencia de vida naquelas condições.
O facto de sentir,pela primeira vez,dificil ser infeliz--senti que teria de me esforçar por ser o que sou actualmente--por ser quem fui.
E ainda mais inesperadamente o facto de ter tido atravéz de outra sensibilidade uma percepção do meu estado mental e para além dele o meu processo mental.
Quando me apercebi da minha própria dureza...da minha insensibilidade...

Vi-me cinzenta e isso foi um grande impacto.

A minha maior segurança é precisamente não saber se vou ser bem sucedida.O meu maior medo é que tenha interpretado alguma coisa incorrectamente...atribuido significado ou qualidades a coisas erradas.

Em suma de me iludir...

Mas para além disso,posso finalmente dizer que agora vivo uma Fé-Racional.

Uma Vontade.

Aware
publicado por aware às 02:31
| comentar | ver comentários (5)
|
Domingo, 19 de Fevereiro de 2006

Im sorry for having fallen in love with you.

nó em mim.jpg

Passei pela tua rua...e não te consegui chamar,nem sequer consegui dizer o teu nome.

Não consegui chorar.

Só consegui ter saudades tuas...e do amor que não volta.

Desejei pela primeira vez que nunca tivesse acontecido.Para que ainda te pudesse ter...amar menos para poder amar sequer...nunca me passou pela cabeça.
Quem me dera que tivesses sentido quando o descobri,quando descobri que mesmo antes de te conhecer já o sentia.Foi tão estranho...e agora não resta nada.

Só as saudades...e as coisas que ficaram por dizer.

Deixei-as à tua porta esta noite,já não as quero.

Aware
publicado por aware às 21:01
| comentar | ver comentários (2)
|

Humm...something diferent.

gato.jpg

And now a musical interlude...

“Cada bloguista participante tem de enumerar cinco manias suas, hábitos muito pessoais que o diferenciem do comum dos mortais. E, além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher cinco outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do "recrutamento". Ademais, cada participante deve reproduzir este "regulamento" no seu blogue."

As such mine read as follows:

Tenho de comer a minha refeição e só depois beber a minha bebida.Quando reparei nisto pela primeira vez achei estranhíssimo mas garantiram-me de que sempre fui assim...Não sei porquê não consigo beber nada nem antes nem durante a refeição,parece que esta é a minha ordem natural das coisas.

Tenho o defeito de dizer a pior coisa possível quando me zango...é horrivel.Parece que tenho o talento de escolher precisamente o que mais magoará a pessoa com quem me zango assim que ultrapasso os limites do razoável numa discussão.Acho sempre incrível como é possivel que seja tão boa a ser tão...má.
Muitas vezes me pergunto se não terei falhado a minha vocação por causa disto...

Outra mania muito forte que tenho é a de olhar a lua...de saber a cada dia do mês qual a sua fase precisa.Com o tempo transfomei-me num relógio que diz as horas dela,ou ela é o relógio que dita as minhas horas...já não sei.
Sei que se a vir saberei como me sinto...saberei quem sou.

Tenho sem duvida a mania de consultar o dicionário...os dicionários,bem a esta altura do campeonato sou forçada a admitir o meu vício!!!Eu confesso...as palavras e os seus significados!Os meus dedos parecem sentir uma atracção irresistível por livros...não há nada que possa fazer.

Ah...lembrei-me!...é dificil lembrar-me das minhas manias...quase nunca penso nisso...uma mania muito grande que tenho é a de decorar sistemáticamente os gostos das pessoas de quem gosto.(Esta frase ficou gira).
Se gosto de alguém,desde sempre ou assim que o conheço, começo imediatamente a reparar e memorizar o que gosta e o que não gosta...se bebe água,prefere café ou bebe chá...se gosta dele morno,preto ou verde e com quantas colheres de açucar.Todos os detalhes dos mais insignificantes como o tipo de musica e cinema, aos maiores como ideologias e políticas pessoais.Por vezes até memorizo o tom da sua voz em frases que me dizem...
Tudo isto fica escrupulosamente registado na minha memória...cada tique,cada movimento.É um hábito que já não consigo quebrar e que começei por fazer inconscientemente.
Agora tornou-se,na minha opinião,uma maneira mais eficiente de os amar...


Estes são apenas cinco dos meus defeitos e/ou manias,se me distinguem ou não ''do comum mortal'' não sei...para isso posso sempre confiar nos meus soluços.(e já não deu para os incluir).
Suspeito que terei muitíssimos mais sem que me aperceba...ou os admita...
Não sei se serve de alguma coisa desafiar quem conheço,o mais provável é não me ligarem nenhuma.Peço-lhes desde já desculpa...Mas como são as Regras aqui ficam:

Karura


Vincent


Maria


João


Samuel


To you who will accept the chalenge... good luck and good night !

Aware*

publicado por aware às 02:01
| comentar | ver comentários (1)
|
Sábado, 18 de Fevereiro de 2006

Its my party...

janelas de mim.JPG

Tirei esta há uns dias...sou eu.

É o meu simbolo,sempre foi,desde que me lembro.

O que faz este dia diferente dos outros dias?Não sei,mas sinto-o... é nesta altura em que só me lembro de uma música...todos os anos desde sempre... e sorrio.Porque me faz sentir a miúda mimada em mim.

Its my party and I cry if I want to...cry if I want to...cry if I want to...

Faz-me realmente sorrir.Meu deus,já passou assim tanto tempo?...suspiro.Tanta coisa mudou,parecem-me mundos de distãncia.Mas se me perguntares as primeiras coisas que me passam pela cabeça são...

...o meu cabelo está mais crescido.

...continuo com soluços.

...ainda uso óculos.

Tudo mudou,mas ainda continuam a ser as pequenas coisas que me fazem reconhecer-me.Mais que tudo a minha alma mudou...e isso é indescritivel.O meu coração partiu-se e aumentou,a minha alma morreu e voltou a nascer.
Tudo isso roça o limite do inacreditável...e no entanto continuam a acontecer coisas que me conseguem surpreender.

''Neste dia especial''...tenho o bom hábito de me lembrar coisas doces que as pessoas me foram dizendo ao longo da minha vida,muitas delas já vieram daqui...

Obrigado*

Aware

publicado por aware às 00:34
| comentar | ver comentários (4)
|
Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2006

derelict soul...

tristeza de mim.jpg

Tive um sonho mau...

Sonhei que não tinha ninguém que me protegesse.

Por isso fugi,como pude,pelas ruas.Alucinada na minha própria solidão.

E ninguém me impediu...

Tropecei e caí...esfolei as mãos.Senti o meu maxilar a estalar e a poeira a cravar-se na pele.O frio do terror...Fiquei assim,no meio da estrada...de joelhos olhei para cima e esperei para morrer.

Estive para além de mim própria.

Pensar nisto arrepia-me,e faz lágrimas grossas rolar pela minha cara.Faz-me coisas que nem consigo descrever...

Agora vivo num abraço que não existe,abandono-me...nos teus braços.

Derelict:adj. abandoned; adrift; neglectfull; unfaithfull : n anything left, forsaken, or cast away intentionally; a ship abandoned at sea; a betrayer of trust; a person who has lost respectability; a human wreck.
publicado por aware às 22:50
| comentar | ver comentários (1)
|

Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
Hit Counter

...recent dreams

Home

The gates

sidartha

Burnt Wings

Ouro

Sleepwalker

Red

Luz e solidão.

Art of Peace

golden brown

...other dreams

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

...other dreamers