Quinta-feira, 6 de Outubro de 2005

on the boat

water-lake.jpg

Hoje fui a Tavira...apanhei o barco para a ilha.Olhei para o cais,para os mesmos barcos...sempre os mesmo barcos,sempre a mesma viagem... desde que nasci.Lembro-me deles quando era pequena e estão exactamente na mesma,o cais,a ferrugem,as cordas,o cheiro da água.

Penso que estarão lá muito depois de eu morrer.Exactamente como eu os conheci quando era pequena.A dizerem exactamente a mesma coisa em cada maré.

Fazem-me pensar que estou aqui há demasiado tempo...que já me devia ter ido embora,que continuo a viver um tempo que já não é meu.Que o meu corpo vai morrer e que eu não ainda não vivi.Entrei naquele barco e sentei-me bem no fim,com os pés na água...pensei que um dos homens se chateasse com isso,como sempre fazem...não veio ninguém.Mesmo assim quiz dizer a alguém que conhecia aquele barco como um amigo de infãncia,que cresci no mar,ao lado do meu pai...num verão há muitos anos atrás.Num barco,que já não existe.

O barco começou a andar,com os mesmos sons e cheiros...só consegui ficar a olhar para a água calma e as ondas...sempre o mesmo céu.
Um desespero calmo,como um grito que ninguém ouve....

aware
publicado por aware às 00:59
| comentar
|
3 comentários:
De a 7 de Outubro de 2005 às 17:27
Acho que nem vou comentar... Já sabes o que penso... Já que és tão boa a analisar o lado negro das coisas porque não tentas uma vez na vida fazer o inverso?
Vais ver que te dá o mesmo trabalho só que o Resultado é Muito mais saboroso!!!
azl
(http://xonarme.blogspot.com)
(mailto:ebgoncalves@hotmail.com)
De a 7 de Outubro de 2005 às 16:53
:) Que belo texto.. faz-me lembrar uma quinta que existe aqui no concelho, na zona dos campos de arroz.. na divisão entre montemor o velho e a figueira.. que tinha um canal antigo que vinha de um dos afluentes do mondego e os pequenos barcos atracavam mesmo à entrada da quinta.. eu nunca vi isto ao vivo porque actualmente só existem os restos dos barcos e as recordações porque o tempo evoluiu e novas alternativas encontraram .. mas iamginar-me ali.. olhar para aqueles restos e ver a imagem do que era antes e como a vida vai alterando o percurso das coisas .. é fascinante. Enfim, fizeste-me lembrar isso.. e gostei muito da definição visual:)
*****Ser-se em Palavras
(http://www.longtakk.blogs.sapo.pt)
(mailto:golden_sky_@hotmail.com)
De a 6 de Outubro de 2005 às 21:50
O mesmo de sempre... não diria... apenas é o teu olhar, a alma que insiste em ver o mesmo.... faz um pequeno esforço e verás que a diferença está lá!!!! Pequenas, quase imperceptiveis mas estão lá!!!! Sentir faz parte da vida... e nem tudo é negro... e se te ajuda... faz como eu que por vezes me limito a ver a cor, a forma a beleza que nos rodeia e ama ela tal como se mostra para ti... beijinhosAran_aran
(http://capricornioemim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:aran_aran@sapo.pt)

Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
Hit Counter

...recent dreams

Home

The gates

sidartha

Burnt Wings

Ouro

Sleepwalker

Red

Luz e solidão.

Art of Peace

golden brown

...other dreams

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

...other dreamers

...other dreams

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

...other dreamers