Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2006

Rascunho de uma Declaração de Independência

declaro que estou nascida em mim.jpg

Eu sou a minha própria mãe e o meu próprio pai.

Longe de ter conseguido a independêcia porque os afastei com ódio,ganhei-a porque os absorvi e reinventei dentro de mim própria.Atravéz do amor.
Só agora conheço a verdadeira solidão...porque pela primeira vez na minha vida estou mentalmente separada do mundo.Por isso sinto tão claramente que já não moro na casa que sempre foi minha e que já não sou a pessoa que fui.

Ainda não sei Amar nem Viver e embora isso me faça extremamente infeliz e insegura,no fundo,sei que tenho (...por linhas tortas) a atitude ou preocupação certas.

É por acreditar nisso que valorizo a minha doença e o meu inconformismo-conformista como uma peça muito importante do meu mistério e da minha realidade.
Acho que nestes anos ''novos'' não vivo o Amor no verdadeiro sentido do termo,mas vivo sem dúvida um ''estar apaixonado''...com toda a confusão e dôr que um amor jovem tem de ter...Quando sinto Amor sinto uma paz que engloba muito mais do que o que consigo perceber e embora sinta perfeitamente que a minha situação é insustentável...não tenho pressa.
A pressa e a sensação de inutilidade que caracterizaram a minha adolescência e minha vida sem participação na sociedade parecem ter-se diluido na minha própria noção de Eu,na minha própria noção de individualidade.Para além de um incompreendido egoismo cheguei finalmente a um ''cuidar de mim'' ao que espero ser uma definição evoluida de amor-próprio.

Eu já não tenho de matar o meu tempo.

Agrora posso usufruí-lo...Os meus objectivos,as minhas prioridades são a Flexibilidade a Espontaneadade e a Funcionalidade.
Dito isto sinto ter de fazer aqui um sacrifício de um ser-vivo para selar esta decisão...e longe de ser uma crueldade será uma justiça porque se trata de um ser muito vivo em mim que me tem impedido de progredir.Que tem roubado a minha vida antes dela acontecer.Atravéz um acto corajoso vou acabar com a minha situação insustentável.

Vou matar o meu perfecionismo.

Colocando-me numa situação para esse propósito...com diferentes ramificações.Tudo isso é apenas uma expressão pequena do que realmente quero fazer...Concebi uma meta que tem um valor menor para mim e para a sociedade.
Posso afirmar aqui e agora que o prefiro a continuar parada à espera da escolha perfeita.Que como sabemos é irreal.

Como sei que sentirei ânimo?Não sei...mas sinto-o,e também o senti quando experimentei um primeiro gosto dessa realidade que descreverei a seguir.
Essa ''Realidade Nova'' é composta por dois lados,um que se baseia na minha experiência real e outro que se baseia em prováveis.
Essas experiências prováveis foram criadas a partir da minha noção do que são as minhas forças e fraquezas,do que hipoteticamente resultará disso,mas também da minha avaliação de pormenores que recolhi dessa realidade quando a vivi parcialmente.
Em vez de apontar para a velha e boa taxa de sucesso a 99,9%...desta vez,em termos reais acho que tenho entre 45 a 60% de hipóteses de ser bem sucedida.
Será a tentativa de me inculcar a Disciplina e a Concentração de que preciso para ultrapassar as dificuldades e os vicios comportamentais que tenho adquirido e criado para mim pópria ao longo do tempo.
Mesmo que as opiniões não me sejam favoráveis,o que me interessa neste assunto é a minha própria atribuição de valor...opinião.Não como uma cegueira e uma teimosia ou desrespeito mas como o englobar de todas as informações e o respeito de todas as opiniões.

O que mais me motiva para além de todas as expectativas foi a minha expêriencia de vida naquelas condições.
O facto de sentir,pela primeira vez,dificil ser infeliz--senti que teria de me esforçar por ser o que sou actualmente--por ser quem fui.
E ainda mais inesperadamente o facto de ter tido atravéz de outra sensibilidade uma percepção do meu estado mental e para além dele o meu processo mental.
Quando me apercebi da minha própria dureza...da minha insensibilidade...

Vi-me cinzenta e isso foi um grande impacto.

A minha maior segurança é precisamente não saber se vou ser bem sucedida.O meu maior medo é que tenha interpretado alguma coisa incorrectamente...atribuido significado ou qualidades a coisas erradas.

Em suma de me iludir...

Mas para além disso,posso finalmente dizer que agora vivo uma Fé-Racional.

Uma Vontade.

Aware
publicado por aware às 02:31
| comentar
|
5 comentários:
De a 21 de Fevereiro de 2006 às 23:25
Já ontem tinha lido o teu texto .. mas não quis comentar, deixei para hoje, para poder ler novamente .. e absorver melhor as palavras.
Foi como se tivesses arrumado todas as ideias em cada lugar certo.. como se tivesses dado uma logica ao que pensas e vives.. mas mais importante foi como se de repente tivesses afirmado para ti mesma que aceitas o que já viveste e aceitas o passado como uma construção.. para o caminho que queres mesmo seguir.
Foi muito bom voltar a ler-te, bjos*****Ser-se em Palavras
(http://www.longtakk.blogs.sapo.pt)
(mailto:golden_sky_@hotmail.com)
De a 21 de Fevereiro de 2006 às 10:14
Não quero que me dês o que eu quero... quero que me fales antes desses outros mundos para lá da verdade que tanto te interessam. Ou será pedir demais? Bjs***Joao
(http://outofafrica.blogs.sapo.pt/)
(mailto:jo221@mweb.co.za)
De a 20 de Fevereiro de 2006 às 21:12
about time girl... about time.
e mereces tudo da vida... és parva se pensares que não mereces nada. e a mim não me desiludiste.
nunca me desiludes. e é preciso muito para me desiludirem.
beijos adoro-te********************************Karura
(http://www.blackpenguin.blogs.sapo.pt)
(mailto:anywherebuthome@gmail.com)
De a 20 de Fevereiro de 2006 às 14:02
Olha-te ao teu espelho. Não ligues tanto a espelhos que vês noutras pessoas. Mesmo que estejam do teu lado... não sabia que fazias anos... podias ter dito... :(Vincent
</a>
(mailto:vincent-x@sapo.pt)
De a 20 de Fevereiro de 2006 às 11:13
Acreditas que ja tinha saudades de te ler???
Fiquei maravilhada com este teu texto....tens um potencial fora de serie...quase de certeza que irás ser bem sucedida...já tens alma de vencedora. Foi muito bom voltar aqui.....beijo doce. Pk não colocas um template no blog????? e musica? li o teu texto a ouvir a musica do meu blog e digo-te que foi algo maravilhoso. Ana Luar
(http://aromademulher.blogs.sapo.pt/)
(mailto:luar_zita@msn.com)