Sexta-feira, 24 de Março de 2006

Silêncios partidos...



Estou assustada.

Hoje não pode ser como ontem...o que foi ontem?

Fiz um erro e começou uma discussão e de repende deixei de estar em controlo.Gritei qualquer coisa que não percebi e atirei o vaso ao chão...partiu-se e espalhou a terra negra pelo quarto.Porquê o meu espanto?Eu avisei que isto ia acontecer...ninguém acreditou,nem eu.

Fiquei sozinha.

Fugi para a varanda e agachei-me a chorar e chorei.

Chorei tanto e tão alto que deixei de saber quem era...agarrei-me às paredes e gritei...em convulsões de dor.Vómitos de angústia e loucura...
Gritei como nunca tinha gritado antes,gritei como se fosse morrer.Como se fosse morrer de raiva por ser incompreendida,de vergonha por ser incompreensível,de arrependimento por ser irreparável.

De solidão...e de terror.

Voltei ao quarto e agarrei a terra e os vidros com as mãos,chorando,sons de desespero que nunca ouvi a ninguém.Sem saber o que fazer começei a limpar agarrando tudo com demasiada força na esperança de me cortar mas nem isso me deram.Um por um recusaram-se...continuo sem saber porquê.

Niguém me viu gritar...ouviram alguém a morrer mas não fizeram nada.

Saí de casa e começei a andar,passei pelos sítios que me poderiam salvar e deixei-os no sossego que não consigo ter.Tirei os sapatos e andei descalça pelas ruas de alcatrão molhado,cortando os pés nas pedras afiadas.Perdida na multidão e depois,nos espaços desertos e escuros.

Queria ver o mar...e vi-o.

Não consegui dormir esta noite e quando fiquei sozinha outra vez,chorei porque já não sentia o meu coração.O meu corpo doía-me como se tivesse sido espancada.Uivei para dentro da almofada,para dentro de mim própria e aí ninguém me ouviu.

Espanta-me ter acordado hoje...

Tive de escrever isto,porque não o consigo dizer e porque senão o disser e não o escrever será como se nunca tivesse acontecido.Sobretudo porque não posso fingir que não aconteceu.Não posso...o silêncio é demais,o abandono é demais.

Nunca estive tão perto de perder tudo.

Ninguém o viu,ninguém ouviu...ninguém me chorou.

Agora tenho de me pôr a ferros outra vez e sorrir e fingir que não aconteceu...já não me pergunto porquê...pergunto para quem?


Aware
publicado por aware às 19:03
| comentar
|
3 comentários:
De Aran_aran a 24 de Março de 2006 às 20:59
Todos erramos, não é caso para alarme... e com eles vamos aprendendo... não podemos é perder o controle... que só agrava as situações... E fingir que não aconteceu nada nos serve... apenas temos que retirar dele o lado positivo... e ai sim já podes sorrir.... Deixo-te um mimo... um beijinho, para te confortar desse incidente...
De Ser-se em Palavras a 24 de Março de 2006 às 23:58
Ainda bem que escreveste ... porque pior que qualquer solidão que se possa sentir .. é também permanecer-mos escondidos nela e fecharmos também as nossas próprias portas..
Estiveste perto .. mas faltou o quase, por isso smile and be happy!
Beijinho e gosto do teu espaço renovado .. apesar de ainda não ter cedido à SAPO no que se refer a esta plataforma nova.. mas não me impede de te deixar o elogio*
De MoonLight a 25 de Março de 2006 às 19:24
Libertar a alma faz-nos sentir mais leves. Mas não arranca a dor cá de dentro. Tantas são as vezes que gritamos em surdina, e ninguém dá por ela! Mas os amigos podem sempre ajudar... Desde que permitamos! Fica bem. Bjs de Luz

Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
Hit Counter

...recent dreams

Home

The gates

sidartha

Burnt Wings

Ouro

Sleepwalker

Red

Luz e solidão.

Art of Peace

golden brown

...other dreams

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

...other dreamers