Quarta-feira, 7 de Dezembro de 2005

Memory of a full moon long ago

a noite-thumb.jpg

Ao pôr do sol tudo pareçe mais azul...abro a janela e sinto o cheiro das cores.
Arrumo o meu quarto lentamente,a pensar em espaços...e no silêncio que sinto.Tudo começa a ficar mais vazio.E a luz começa a enfraquecer,cada vez mais azul.
A lua nasce entre véus de branco...dão-lhe uma duvida...uma indefenição.É como me sinto.

O ar e a janela fazem com que o espaço pareça ainda mais vazio.Vou estender a roupa ao terraço subo as escadas e sinto todo aquele espaço...Estendo lençois e sinto-lhes o fresco na brisa que passa,fico ali descalça a sentir a brisa a brincar com as minhas pernas e o cheiro da roupa fria nos dedos.Labirinto de roupa leve e fresca da água que ainda contém.
Deixo o espaço infinito aquele céu e as roupas nas linhas...parece irreal.Troco-os pelo meu quarto,agora vazio...simples no escuro da nova noite.
Tenho a sensação de que se acender as luzes me vou queimar...mas não quero ficar no escuro...sento-me á janela acendo incenso e fico no fumo e na luz ténue.Olho para o ponto vermelho de arde,tão suavemente.O fumo balança leve.
As cigarras tocam no silêncio...o barulho de um carro que passa,o ultimo grito de uma andorinha.Sons do meu sempre.
O ar...a janela...o cheiro.
Sento-me no chão do meu quarto e penso que continuo descalça...mas parece que as minhas pernas já não acabam como acabavam.Agora sou para sempre.Acendo um candeeiro fraco e uma vela.
Passa uma brisa fresca e ponho musica.Estranhamente a musica enche todo o espaço vazio...a coincidência aleatória faz com que seja perfeita.
O chão do meu quarto vazio,a janela aberta e a lua...a música e eu.

Sinto-me em mim...quem fui,quem sou.Efémero...demasiado bom,absoluto.
O ar...a janela completamente.

Respiro e vejo os pensamentos sairem da minha boca como fumo...fumo lento.
Amo.


aware

------------------------------------------------------

Este post foi escrito em 24 de abril deste ano que está a acabar.Num mundo diferente foi o texto favorito de um amigo que perdi na multidão e no vazio das nossas vidas,dedico-o a ele.Ao Poeta do silêncio.

Aware
publicado por aware às 01:15
| comentar
4 comentários:
De a 8 de Dezembro de 2005 às 00:26
gostei da intensidade do texto, parabens :)diluida
(http://evasoesdemim.blogs.sapo.pt/)
(mailto:diluida@hotmail.com)
De a 7 de Dezembro de 2005 às 18:06
Que beleza de texto, que encantamento no fluir das palavras "como fumo... fumo lento". Foi bom vir hoje aqui. BeijoMaria Papoila
(http://apapoila.blogs.sapo.pt)
(mailto:msantosilva@sapo.pt)
De a 7 de Dezembro de 2005 às 15:14
Maginifico texto. E que bom é haverem pessoas que passam assim e deixam esta cauda de inspiração. Pó de estrelas. BjsVincent
(http://www.alinhadesombra.blogs.sapo.pt)
(mailto:vincent-x@sapo.pt)
De a 7 de Dezembro de 2005 às 01:37
Que delícia... adorei todos os textos. Voltarei!Henrique Moreira
(http://pagan.blogs.sapo.pt)
(mailto:henriquemoreira1@hotmail.com)

Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30
Hit Counter

...recent dreams

Home

The gates

sidartha

Burnt Wings

Ouro

Sleepwalker

Red

Luz e solidão.

Art of Peace

golden brown

...other dreams

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

...other dreamers

...other dreams

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

...other dreamers